DIVISÃO ESPECIAL

São talentos do Sul e defendem a Serra
FOTO:Correio Lageano, por Begair Godóy
O Caça e Tiro Honolulu/FME fechou as negociações com os cinco times que faltavam nas disputas da primeira fase do Estadual de Futsal da Divisão Especial. Hoje, vai a Tubarão enfrentar a equipe local. Dia 11 espera o Jaraguá, dia 13 visita o Florianópolis, dia 20 é anfitrião do Blumenau e fecha a fase diante do Concórdia em data e local a serem definidos. O treinador Juninho aproveitou o período de 17 dias sem jogar para ajustar o time, principalmente no setor defensivo - nas derrotas das duas últimas partidas levou muitos gols que poderiam ser evitados- Chapecó 4 a 3 e Rio do Sul 1 a 0. A equipe lageana ocupa a vice-lanterna (8º) conquistando um dos 9 pontos disputados. Os lageanos precisam  recuperar o ritmo e acabar com a sequência de resultados negativos. A chance pode ser no Sul do Estado, o time do Tubarão aparece em sétimo e tem uma campanha semelhante à do Caça. Em nove pontos em jogo somou três.

Outro ponto a favor é que o grupo alviverde tem dois irmãos que defenderam o Tubarão no passado. Os goleiro Rafhael, de 35, e o ala e fixo Picolé, de 28. Ambos viraram espiões de Juninho na volta pela primeira vez deles a terra natal, jogando no mesmo time. Rafhael conhece bem o goleiro adversário. “Foi meu banco quando joguei lá”, disse ao lembrar que o retorno será motivador. “Saímos porque fomos mandados embora”, completa. Picolé vestiu a camisa do Tubarão por duas vezes e na segunda vez decidiu deixar o clube. Ambos chegam à cidade em que nasceram como destaques no esporte. Picolé fez seis gols na Copa Santa Catarina e um na Divisão Especial. Rafhael foi eleito o melhor da posição na Copa Catarinense. O diretor  de futebol Célio Bueno acha normal a atual situação do clube. “Todo campeão tem uma caída. Fomos vice da Primeira Divisão, campeões da Copa Santa Catarina com um time formado em menos de dois anos. Jogamos bem contra o Krona (empate em 2 a 2) e também  diante dos dois últimos compromissos, mas perdemos.”
Reforço
O ala esquerdo Lucas Selbach, de 23 anos, chegou ontem ao time. Até dia 10, tem sua documentação liberada. Por isso, não joga contra o Tubarão. O jogador estava  no Maringá  e disputou a Liga Nacional- fez dois gols- e o Parananense também marcou 2 gols. Tem como características fortes a marcação e o drible, chega para ajudar o Caça na reabilitação.

Mais competições
A temporada do Caça e Tiro vai ficar mais intensa  a partir de quinta-feira. O grupo representa a cidade no microrregional dos Jogos Abertos em Lages. E, em agosto, de 22 a 24, joga também aqui a Liga Sul. São quatro times. Além do Caça, Chapecó, um time paranaense e outro gaúcho.


0 comentários:

Postar um comentário