FCF APRONTA DE NOVO NA ESCALAÇÃO DE ÁRBITRO

Confusão põe fim ao clássico no Augusto Bauer
Brusque vencia por 2 a 1 quando houve invasão de campo. Brusque reclama da arbitragem.
Na tarde deste domingo, no estádio Augusto Bauer, aconteceu o clássico da rodada entre Brusque e Marcílio Dias

O Brusque abriu o placar com Eydison, logo aos 2 minutos. Aos 40, Neguete ampliou para 2 a 0 em favor do time da casa. Depois disso, começaram as polêmicas. Em um pênalti muito contestado pelos brusquenses, Tardelli fez o gol marcilista: Brusque 2 a 1. O Brusque teve dois jogadores expulsos por reclamação: Serginho e João Paulo.E aos 36 minutos, o árbitro Edson da Silva marcou novo pênalti para o Marcílio. Foi o estopim para uma confusão. O goleiro Fabão não quis defender o pênalti e os jogadores do Brusque se retiraram de campo. Houve invasão de campo por parte de torcedores e a Polícia Militar teve que intervir. Alegando falta de segurança, o árbitro Edson da Silva deu por encerrada a partida.

A diretoria do Brusque não se conforma com a atuação do árbitro. “Esta segunda-feira vamos fazer uma reunião da diretoria, junto do setor jurídico, e tomaremos alguma decisão. Poderemos chegar ao limite, infelizmente, de tirar nosso time do campeonato. Porque, dentro de campo, nosso time tem qualidade, mas forças ocultas trabalham contra nós”, disse o presidente Danilo Rezini à Rádio Cidade AM de Brusque.

Outro fato que levantou polêmica entre os torcedores nas redes sociais é o perfil do árbitro no Facebook. Nele, consta que Edson da Silva trabalha como chefe de gabinete na Câmara de Vereadores de Itajaí, com o vereador José Acácio da Rocha, ex-árbitro, e nele aparece ainda uma foto relacionada ao trabalho do árbitro, com um emblema do Marcílio Dias estampado.

A súmula da partida será encaminhada à Federação Catarinense, que deverá se pronunciar nos próximos dias. O Brusque corre o risco de sofrer punições, como perda de pontos e de mando de campo por conta da invasão de campo que antecipou o fim da partida.

Na próxima rodada, o clássico será repetido, mas, desta vez em Itajaí, na quarta-feira, às 20h30.


E o Reginaldo "Geladeira" Heine, ainda me gava os cara na sua coluna, tá de brincadeira

Voz do apito!

Santa Catarina tem bons árbitros
Paulo Henrique de Godoy Bezerra há muitos e muitos anos sempre foi o melhor árbitro em SC. Alguns percalços na sua carreira atrapalharam como problemas físicos e outros, mas sempre manteve sua postura. Pena que em SC ele não foi valorizado junto à CBF tanto como os outros apadrinhados por alguns dirigentes que apitavam graças as suas amizades, já Paulo manteve seu estilo no brasileiro. Dos poucos jogos que apitou foi muito bem, falta mais ritmo para o mesmo, pois ele na minha visão não é arbitro para ficar atrás dos gols tocando quero-quero, ao contrário de muitos aqui em SC que deveriam ser escalados como adicionais por serem fracos. Paulo é árbitro de primeira linha, falta a CBF entender isso. 

Leandro Messina Perroni

Vi esse árbitro apitando os jogos da terceira divisão de acesso em SC. Tem ido muito bem, porém, falta dar ao mesmo mais jogos para decolar em sua carreira, pena que quando chegar os jogos mais decisivos vem os “amigos dos amigos” , aí desanima qualquer um. Mas o Perroni tem condições sim de ser um grande árbitro em SC. Vamos aguardar se isso realmente irá acontecer, já que aqui em SC pra tudo é bom ter um “QI” a mais.
 

A realidade é só uma, apita só quem eles querem...
Outra, se para fazer o resultado e garantir uma escala semana que vem os cara fazem tudo, portanto, na minha opinião (Adriano Meira) a coisa anda é feia em SC. Edson Silva é um dos apadrinhados pela FCF, por isso, cresceu muito rápido no ultimo ano e agora já caiu na primeira polêmica. Aliás, como será ficou o caso do Célio Amorim?

0 comentários:

Postar um comentário