JOCOL 2014

Calendário do Jocol apresenta três novidades
FONTE: Correio Lageano
A Fundação Municipal de Esporte definiu o calendário dos Jogos Comunitários de Lages (Jocol) com três novidades. A inclusão do xadrez adulto, a rústica disputada uma semana antes da abertura oficial e a redução de jogos nas três séries do futebol. Com percurso de 4.700 metros e 11 categorias, a rústica que acontece dia 22 de março continua abrindo o torneio, mas não mais no dia da abertura do Jocol. Medida visa a dividir os trabalhos da equipe que organiza o evento. “Nesse dia temos que fazer a distribuição de água, senhas e kits para os participantes que pode passar de mil, além de outras providências”, explica o coordenador do Jocol, Benedito Moura, o Dito. Lembra que a equipe é pequena e não consegue “controlar” dois eventos no mesmo dia. Dito alerta que as inscrições começam a partir do dia 17 de fevereiro e o prazo para o término dia 28, na FME  e que é obrigatório a participação de dois atletas (F e M) de cada agremiação  inscrita no competição, sob pena de perca de 200 pontos e dos kits de futebol.


Xadrez|
 Segundo o superintendente da FME, Armando Mello Júnior, para a inserção do xadrez adulto (M e F) considerou-se a sua importância e premiação que Lages tem conquistado.

Futebol de Campo| 
As séries A e B permanecem com 20 times cada, mas as partidas serão reduzidas passando de 142 partidas para 116. Assim como a série C que mantêm-se com 64 clubes e de 312 jogos passa a ter 298. As disputas da série C voltam ao sistema de eliminatória a partir da terceira fase. Dito avisa que os times da série C não precisam preencher as fichas de inscrições, têm até cinco dias antes do congresso para efetivar a vaga e apresentar 11 atletas.
  
Sistema de pontuação para punir infratores
No regulamento do Jocol a medida de pontuação adotada há mais de 10 anos tem dado certo. Assim que a organização consegue monitorar o comportamento dos jogadores, dirigentes e até a torcida. Cada equipe terá 1000 (mil) pontos e será punida disciplinarmente com perda de pontos, o que poderá levar a sua eliminação do Jocol.  A equipe que for eliminada não poderá retornar no próximo ano com a mesma formação, podendo utilizar apenas três atletas na sua nova equipe que  disputará a Série “C”, não  tendo vaga garantida  e cada equipe poderá contar com no máximo três atletas da equipe desclassificada.  A equipe que se apresentar sem espírito de lealdade e esportividade será punida disciplinarmente com perda de pontos. A contagem será cumulativa a cada ato disciplinar cometido e registrado, de acordo com a tabela devidamente conhecida pelos participantes.
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Ponto de Vista nosso
Ao que tudo indica, a meta é enxugar os valores da competição. Até aí tenho que concordar com a gestão da competição, mas fazer a Série C, que, curiosamente, foi a mais disputada de 2013 voltar para o sistema eliminatório é andar para trás. O que houve de errado para se mudar o sistema de disputa?

Desde o ano passado venho falando....
A série C deste ano “seria”, vejam bem, “seria” a categoria do carro chefe do Jocol (futebol), a mais disputada. Aumentou-se ou numero de jogos com o sistema de disputa idêntico ao das séries A e B. Diversos jogadores de ponta, que jogavam a série A e B, passaram a jogar a série devido ao atrativo – mesmo número de jogos das séries “A” e “B”. Com a criação do Tribunal de Justiça Desportiva de Lages – TJD, os casos de violência diminuíram e outra, a série C sempre foi destaque em disciplina.

Pergunta:
Porque se mexer em algo que está dando certo?

Se a meta é diminuir custos, PRINCIPALMENTE COM ARBITRAGENS que enxugassem modalidades como o Futsuiço Mais 40 anos, Futsal Mais 40 anos, COMPETIÇÕES ESTAS ONDE ESTÃO OS MAIORES INDICIES DE “WO”. Ou seja, para alguns clubes é DINHEIRO JOGADO FORA.....TEM QUE PUNIR E SEVERAMENTE ESSES CLUBES E ATLETAS QUE NÃO ACONTECE MAIS....

É como eu sempre digo (falo isso a pelo menos uns 3 anos), e as vezes até sou chamado de "maluco" na rua....Mas com as dimensões que o esporte de Lages ganharam na gestão Renatinho, passou da hora dos presidentes de clubes montarem uma Associação dos Clubes do Jocol. Seria para participar de algumas decisões e ajudar a melhorar o evento....Porque até onde eu sei, seriam as ligas que deveriam fazer as gestões de cada competição, inclusive do Jocol. A prefeitura via FME apenas subsidiaria os valores...MASSSSSSSSSSSSSSS.......

E pergunto novamente:
Porque foi obrigatório os clubes das séries A e B fazer os estatutos?  


DECISÃO MAIS QUE ACERTADA
O superintendente da FME, Armando Mello JR, acertou ao mudar juntamente com o seu colegiado a abertura do Jocol. Fazer a rústica e abertura do evento, ambos no mesmo dia era cansativo para presidentes de clubes, dirigentes, atletas, organização e imprensa.


Si bem....que:
É como eu disse lá em cima, o pessoal da imprensa ainda anda meio afoito com o Jocol, que bem na realidade, ano passado foi tocado pelos pequenos veículos de comunicação. Jornais considerados grandes por alguns, que hoje recebem uma boa fatia em campanhas publicitárias da prefeitura, eram raros de se ver repórteres nos campos. As rádios sumiram e só para lembrar, éramos nós e mais uns dois ou três que noticiávamos tudo...Sem contar que ainda nos pediam fotos para pegar o release via blog para ilustrar sua matérias.... E a realidade é essa, esperamos que esse ano mude, enquanto isso a vida segue e o Jocol sendo organizado....Espero que seja com sucesso, nosso amigo Armando merece, apesar do pouco apoio que muitas vezes recebe...
    


0 comentários:

Postar um comentário