Só um “milagre” mantém a Ki-Bola no Estadual

ESTADUAL SUB 13 
Ki-Bola joga tudo ou nada na capital 
Equipe treinada por Marquinhos Reis disputa na capital do estado o returno da 4ª fase precisando vencer os três jogos, já que no turno realizado em Chapecó no mês de agosto obteve apenas um empate com o Avaí. 

Os dias 18 e 19 deste mês serão os dias “D” para a equipe sub 13 da Ki-Bola/FME Lages/Colégio Energia no Estadual de Futsal.A equipe vai a Florianópolis disputar o returno da 4ª fase e terá que operar um “milagre” para se manter na competição. Ou seja, em virtude da péssima campanha no turno realizado em Chapecó nos dias 21 e 22 de agosto, quando saiu com apenas um ponto em três jogos, terá que vencer todas as partidas do returno.  “É uma missão difícil, mas não impossível”, admite o treinador Marquinhos Reis, que na ultima semana buscou corrigir os erros realizados nos jogos de ida. O técnico ressalta que na derrota para o Marista pelo marcador de 08 a 03, pelo menos seis gols foram de falhas coletivas do plantel. Mesmo ato que se repetiu por três vezes contra o Fut Gol/Lepper, de Joinville, em jogo que terminou 06 a 05.

“A partida mais técnica que realizamos foi contra o Avaí, que na realidade é a equipe mais forte. Conseguimos impor um bom ritmo de jogo e nos privamos de erros individuais fazendo jus ao resultado de 01 a 01”, detalhou Marquinhos. Seguindo a planilha organizada pela comissão técnica para essa etapa, o jogo chave é o da estreia contra o líder Marista (Chapecó) no ginásio da A.D Celesc. A equipe do oeste tem 07 pontos e é seguida de perto pelo Avaí (segundo adversário) que tem 05 pontos. O Fut Gol é o terceiro, com 03 pontos.
“Se perdemos essa partida estamos fora da competição, os demais jogos serão apenas para cumprirmos tabela, já que o Marista praticamente garante um das vagas, já que apenas duas equipes avançam para a próxima fase”, reitera o professor.Por ser um ano de reconstrução  do projeto de escolinhas de rendimento da Ki-Bola, o professor Marquinhos afirma que parte dos pensamentos da presidência e comissão técnica já estão voltados para o calendário de 2016. Segundo frisou, eles aguardam somente o final da Copa Lages de Futsal de Bases para se discutir o projeto e já admite uma série de mudanças, tanto que não descarta a possibilidade de retornar com as categorias inferiores, ou seja, sub 09 e sub 11, que há pelo menos três anos não disputam o estadual.

0 comentários:

Postar um comentário